José Mendes de Carvalho

Nome completo
José Mendes de Carvalho
Nome de guerra / Pseudónimo
Henda / Hoji Ya Henda / Hoji Ia Henda / Hoji-Ya-Henda
Sexo
Masculino
Local de nascimento
Angola
Data de nascimento
Data da morte

 

José Mendes de Carvalho «Hoji Ya Henda» – 80 anos

Nascido a 29 de Julho de 1941 em Ndalatando (Kwanza Norte), filho de Agostinho Domingos de Carvalho (enfermeiro auxiliar) e de Florinda de Carvalho (doméstica) foi o mais velho de cinco irmãos (João, Daniel, Mariazinha, Sara, Samuel e Eunice) e de outro irmão paterno, Calvino. A família pertencia à Igreja Metodista, de cuja organização juvenil José (Zeca) fez parte. Fez o ensino primário em Ndalatando e em meados dos anos 50 seguiu para Luanda, ficando alojado na casa da Maria Silva Neto (mãe de Agostinho Neto). Fez o ensino secundário na Casa das Beiras e, depois, no Liceu Salvador Correia. Entre 1957 e 1959 participou em actividades políticas clandestinas, incluindo a distribuição de panfletos. A 9 de Janeiro de 1961 José Mendes de Carvalho partiu clandestinamente para o Congo Léopoldville e juntou-se ao MPLA, trabalhando com o comandante militar Tomás Ferreira. Foi um dos sobreviventes do “massacre do Fuesse” onde morreu Ferreira. Rejeitando a possibilidade de prosseguir estudos académicos, seguiu em Novembro para um curso militar, inicialmente no Ghana, no campo de Mankrong, e depois em Marrocos no campo de Kasbatadla onde passou a integrar o recém-criado EPLA (Exército Popular de Libertação de Angola). Regressado ao Congo de barco em 1963, com algum armamento, realizou várias missões de reconhecimento na fronteira do Congo-Léopoldville com as regiões de Malanje e Lunda. Em Abril-Maio daquele ano, realizou o primeiro reconhecimento às possibilidades de acção do MPLA na Rodésia do Norte (Zâmbia) onde contactou com o partido UNIP de Keneth Kaunda. Em 1964 foi eleito membro do Comité Director do MPLA, na Conferência de Quadros (Brazzaville) que não acompanhou por estar envolvido na organização da libertação de Daniel Chipenda e José Condesse (Toka), presos no então Congo-Léopoldville. Depois de um trabalho diplomático no Ghana durante cerca de três meses, passou a Comandante da 2ª Região Militar (Cabinda). Adoptou então o nome de guerra «Hoji Ya Henda», passando a organizar e dirigir várias acções combativas em que se destacaram as emboscadas de Sanga Planície e a «Operação Macaco», a primeira operação que integrou uma centena de combatentes angolanos com apoio de Cubanos e de um oficial do Ghana. Em 1966, Henda acompanhou o Presidente Agostinho Neto numa digressão por Cuba, União Soviética, e outros países, passando pelo maquis do PAIGC na Guiné-Bissau, na qualidade de membro da Comissão Militar da CONCP. Passou posteriormente a Coordenador da Comissão Militar do MPLA da 2ª Região Militar e da Frente Leste, tendo participado na organização dos Esquadrões Cienfuegos e Kamy que partiriam em 1966 e 1967, respectivamente, para a 1ª Região Militar (na actual província do Bengo). No início de 1967, Henda seguiu para a Frente Leste onde teve importante papel na criação das condições para a generalização da luta armada na 3ª Região Militar (Moxico) e também na 4ª e 5ª Regiões (Lunda e Bié). Em Outubro daquele ano, detectado armado em território zambiano, foi preso com Carlos Rocha «Dilolwa», ficando detidos durante 4 meses. A 14 de Abril de 1968, com 26 anos, ao dirigir o ataque ao quartel português de Karipande, no Alto Zambeze, Henda foi mortalmente atingido. O seu corpo foi enterrado a cerca de 20 km a nordeste de Karipande e a norte do rio Lucunja. Na 1ª Assembleia Regional da 3ª Região Militar, realizada em Agosto daquele ano no Moxico, foi decretado o dia 14 de Abril como dia da Juventude e Hoji Ya Henda considerado “Filho querido do Povo Angolano e Comandante Heróico do MPLA”. Após a Independência de Angola, essa data passou a ser celebrada, com o mesmo significado, a nível nacional. Agostinho Neto inaugurou, em frente ao Ministério da Defesa Nacional, um busto de Hoji Ya Henda, do escultor e antigo guerrilheiro Rui de Matos. Anos depois, um marco histórico foi construído no Moxico, no local onde o comandante Henda tinha sido enterrado.

 

 

 

Documentos referenciados

A mostrar 10 resultados de 79

Relatório de José Mendes de Carvalho

Cota
0028.000.001
Tipologia
Relatório
Data
Impressão
Manuscrito
Imagens
2
Fundo
Arquivo Lúcio Lara

Relatório de José Mendes de Carvalho (Henda), sobre a estadia dos estudantes do MPLA no Instituto Kwamne Nkrumah (Winneba). Na fotocópia utilizada para trabalhar os documentos a serem publicados, Lúcio Lara escreveu: "Carta de José Mendes de Carvalho, chefe do primeiro grupo de combatentes angolanos fugidos de Angola via Congo Brazzaville e que vieram fazer o 1º treino do Ghana"

Relatório sobre a estadia no Ghana

Cota
0033.000.042
Tipologia
Relatório
Data
1962
Impressão
Manuscrito
Imagens
6
Fundo
Arquivo Lúcio Lara

Relatório sobre a estadia no Ghana (Ghana). (Lúcio Lara escreveu numa (fotocópia) sobre Henda «Relatório sobre a revolta do gr angolano no Ghana (Wineba, Inst. KN)» em 11/1/62).

Encerramento do Curso militar do EPLA em Kasba Tadla

Cota
1008.022.034
Tipologia
Fotografia
Data
Locais
Kasba-Tadla
Marrocos
Fundo
Arquivo Lúcio Lara
EPLA (Exército Popular de Libertação de Angola). Encerramento do 1º Curso de guerrilha em Kasba Tadla: José Mendes de Carvalho «Henda», Inácio Baptista «Massunga Kota», Carnot (Marrocos, Julho 1962).

Encerramento do Curso militar do EPLA em Kasba Tadla

Cota
1008.022.035
Tipologia
Fotografia
Data
Locais
Kasba-Tadla
Marrocos
Fundo
Arquivo Lúcio Lara
EPLA (Exército Popular de Libertação de Angola). Encerramento do 1º Curso de guerrilha em Kasba Tadla (Marrocos, Julho 1962): Mário de Andrade (presidente do MPLA), José M. Carvalho «Hoji ya Henda», Agostinho Neto (Presidente de Honra do MPLA de passagem em Marrocos fugido de Portugal)

Exército Popular de Libertação de Angola (MPLA)

Cota
1008.002.001
Tipologia
Fotografia
Data
Ago 1962
Locais
Kinshasa
Rep. Dem. do Congo
Fundo
Arquivo Lúcio Lara
Equipa de futebol do EPLA no Mbinza (Leopoldville, 1962). De pé: António Gaspar Ramos «Dimuka», José Mendes de Carvalho»Henda», Eduardo Panzo «Lucienga», José Ferreira, Jacob Caetano «Monstro Imortal». De cócoras: Aleixo José Pascoal «Gackson», Pombeiro, entre outros. E deitado Joaquim Domingos «Valódia».

Exército Popular de Libertação de Angola (MPLA)

Cota
1008.002.002
Tipologia
Fotografia
Data
Ago 1962
Locais
Kinshasa
Rep. Dem. do Congo
Fundo
Arquivo Lúcio Lara
Equipa de futebol do EPLA no Mbinza (Leopoldville, 1962). Entre outros, de pé: Pedro Van-Dúnem «Loy», Brito Sozinho, António Gaspar Ramos «Dimuka», Francisco Machado, José Eduardo dos Santos, Jacob Caetano «Monstro Imortal». De cócoras: José Mendes de Carvalho «Henda», José Ferreira, Eduardo Panzo «Lucienga».

Algures entre o Congo-Brazzaville e Cabinda

Cota
1100.005.025
Tipologia
Fotografia
Data
1964 / 1965 (estimada)
Locais
Congo-Brazzaville
Fundo
Arquivo Lúcio Lara
Viagem de Lúcio Lara à fronteira entre Angola e o Congo (entre 1964-1965). Confraternização com população e a delegação do MPLA. Vês-se António Macedo «Certa», Roque Tchiendo, Miguel Baya, Moisés Cardoso «Kamy», Joaquim Domingos «Valódia», José Mendes de Carvalho «Hoji Ya Henda», entre outros.

Algures entre o Congo-Brazzaville e Cabinda

Cota
1100.005.022
Tipologia
Fotografia
Data
1964 / 1965 (estimada)
Locais
Congo-Brazzaville
Fundo
Arquivo Lúcio Lara

Viagem de Lúcio Lara à fronteira entre Angola e o Congo (entre 1964-1965). Primeira operação de mobilização do MPLA na Frente de Cabinda. Confraternização depois de uma reunião entre os representantes da população e a delegação do MPLA. Vêem-se José Mendes de Carvalho «Hoji Ya Henda», António Macedo «Certa», Lúcio Lara, entre outros.

Algures entre o Congo-Brazzaville e Cabinda

Cota
1100.005.026
Tipologia
Fotografia
Data
1964 / 1965 (estimada)
Locais
Congo-Brazzaville
Fundo
Arquivo Lúcio Lara

Viagem de Lúcio Lara à fronteira entre Angola e o Congo (entre 1964-1965). Primeira operação de mobilização do MPLA na Frente de Cabinda. Confraternização com população e a delegação do MPLA. Vêem-se António Macedo «Certa», Roque Tchiendo, Moisés Cardoso «Kamy», Lúcio Lara, Miguel Baya, José Mendes de Carvalho «Hoji Ya Henda», entre outros.